Eficiência


Estado de São Paulo é modelo no combate à criminalidade, avaliam deputados

A redução nos índices de violência em São Paulo faz do estado um modelo no combate à criminalidade no Brasil, destacam deputados tucanos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a taxa de homicídios dolosos – com intenção de matar – caiu 19% no primeiro trimestre do ano na comparação com igual período do ano passado. O índice de 10,47 homicídios por 100 mil habitantes alcançado em 2010 já havia se distanciado da média anual brasileira de 25 por 100 mil, sendo a menor já registrada. Neste começo de 2011, os resultados foram ainda melhores.

Na opinião do deputado William Dib (SP), o número ilustra a marca da eficiência das ações adotadas pelo governador Geraldo Alckmin. A seu ver, o índice foi alcançado por causa de bom trabalho realizado há anos e de maneira contínua no estado. Segundo ele, esse processo teve como foco a prevenção e o combate ao crime organizado e às drogas.

ITV: enquanto o estado derruba índices de violência, Planalto não faz sua parte

Reproduzir
baixe aqui

Dib acrescenta que o modelo deveria ser replicado em outros estados, pois o governo paulista tem cumprido o papel na manutenção da segurança dos cidadãos. “Com esse resultado queremos estimular o Planalto a fazer sua parte, cuidando melhor de nossas fronteiras e impedindo que os bandidos tenham acesso às armas e às drogas”, afirmou.

A opinião é compartilhada pelo deputado Vaz de Lima (SP). “No estado, a polícia está bem equipada em todos os sentidos. Existe um esforço enorme para dar segurança à população. Se os demais estados e o governo federal quiserem se inspirar em São Paulo acredito que o Brasil como um todo vai ganhar muito”, disse.

Para Vaz de Lima, a política de segurança pública local teve início com o governador Mario Covas em 1995, foi aprofundada com Geraldo Alckmin e mantida por José Serra, totalizando 16 anos de administração tucana. A continuidade foi a responsável, segundo ele, pela preparação das polícias e pela redução dos índices de criminalidade.

Já o deputado Carlos Sampaio (SP) afirma que é possível obter resultados ainda melhores. “O estado está de parabéns e vamos tentar diminuir ainda mais esses índices. Não é uma tarefa fácil, mas se o governo voltar seus olhos para essa questão como fez até agora, tenho certeza que vai continuar com um conjunto de ações integradas que vai permitir que continuemos com índices como esses, aceitáveis por toda comunidade mundial”, apontou. Para Sampaio, a experiência deve ser compartilhada. “Torcemos para que o Brasil todo acerte e não só o nosso estado”, destacou. Ele ressaltou que as ações envolveram diversas secretarias de Estado, não se restringindo à pasta da Segurança.

Ações articuladas garantem resultados positivos para a sociedade

→ É a primeira vez que o estado de São Paulo inicia um ano abaixo do índice de homicídios de 10/100 mil, patamar considerado não epidêmico pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

→ Se mantida nos três próximos trimestres a mesma quantidade de mortes intencionais registradas até março, São Paulo fechará 2011 com 9,52 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Seria a primeira vez na história que o estado alcançaria uma média abaixo 10/100 mil, praticada em países desenvolvidos.

→ A redução contínua das mortes intencionais já ultrapassa 70,3% em São Paulo. A taxa de homicídios do estado, que agora chega à projeção de 9,52/100 mil em 2011, caiu de 35,27/100 mil, em 1999, para 10,47/100 mil, no ano passado. A taxa média anual do Brasil é de 25 homicídios dolosos por 100 mil habitantes.

→ Nos três primeiros meses do ano, o número de prisões também cresceu: foram registradas 31.787 prisões, 1.802 a mais que no primeiro trimestre de 2010. Os flagrantes de tráfico de drogas registraram aumento de 19%, com 8.805 casos – 1.429 a mais do que em igual período de 2010. As polícias apreenderam 4.521 armas ilegais de janeiro a março.

→ Houve ainda uma queda de 2,94% na quantidade de roubos e de 10,61% em roubos a bancos. A extorsão mediante sequestro, crime que mantinha patamares mais baixos que a média histórica, voltou a cair, de 25 para 18 casos – sete a menos que no primeiro trimestre de 2010. Depois da queda de 16,5% ao longo de 2010, os latrocínios mantiveram tendência estável, com 75 casos no estado, contra 73 no primeiro trimestre do ano passado.

→ Os crimes de oportunidade, os furtos de veículos, com tendência de queda desde 2000, oscilaram 7,7% para cima. A polícia também localizou, recuperou e devolveu aos proprietários 43% dos veículos furtados ou roubados. Nos últimos 10 anos, o risco de furto e roubo de veículos em São Paulo caiu 55,8%, sendo que a frota estadual cresceu de 12,4 para 20,2 milhões de veículos.

(Reportagem: Djan Moreno com informações da Secretaria Estadual de Segurança Pública/ Fotos: Agência Câmara / Áudio: Elyvio Blower)

Compartilhe:
18 abril, 2011 Últimas notícias Sem commentários »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *